Como vai ficar a minha vida depois que o Paul nascer.

Penso no geral. Trabalho em casa e tenho alguns projetos novos em andamento, mas não sei como serão as coisas. Ir a pé ao correio? Até a 25 comprar material e voltar cheia de sacolas? Muito difícil.

Também sou baterista e quero voltar a tocar em uma banda. Porém, nem me animo muito porque antes de engravidar eu estava precisando de pratos novos e agora que eu não tenho dinheiro mesmo pra comprá-los. Prato custa caro e não dá pra pegar emprestado. Mas, se eu conseguisse montar uma banda legal, talvez pudesse complementar nosso dinheiro aqui em casa, tocando de vez em quando em algum lugar.

Nem tenho a pretensão de tocar toda semana, porque a prioridade é a nosso filhote e o pai dele já tem uma banda que faz isso, então não vou eu dar de loka e querer fazer também. Mas sinto falta de tocar e acho que seria bom voltar logo, pra eu me distrair e não ficar pirada só na maternidade, mesmo que seja só com ensaios esporádicos. Vamos ver.

Eu nunca gostei da ideia de parar a vida por causa de um filho, e acho que ele mesmo, quando crescer, vai reconhecer isso. Claro que o outro extremo – nem ver o filho direito por causa do trabalho + estudos, por exemplo – também é ruim, mas felizmente eu estou num meio-termo que, acredito, dê para conciliar.

Mas eu tenho em mente que tudo, tudo o que eu fizer daqui pra frente vai envolver o nosso filho, muito mais comigo do que com o pai dele, acho que em grande parte por causa da rotina de amamentação. Então fico pensando em como deve ser fazer tudo com ele no colo/sling. Tudo é questão de adaptação, mas nunca pensei que seria fácil.

É importante pensar em mim também como indivíduo, e não só como “a mãe do Paul”. Quero que meu filho seja independente e uma das formas de fazer isso é dando o exemplo, acredito eu.

O que estou tentando fazer é minimizar as atividades fora de casa, especialmente no começo. É por isso que quero resolver logo a questão dos documentos novos, mesmo porque o prazo pra mudar o título eleitoral é 5 de maio, por exemplo. Até lá, definitivamente o Paul já terá nascido, então preciso fazer isso now. Terça vamos até o Poupatempo mudar o RG, e acredito que já mude o CPF no mesmo dia também. Não sei direito como funciona. Parece que fica pronto à tarde o documento, o que é ótimo. E então, depois disso, é mudar no convênio, no banco e no cartório eleitoral. O resto eu mudo depois, à medida que for surgindo a necessidade.

No primeiro mês, quase não vou sair de casa. Geralmente já sou bem mais caseira que a maioria das pessoas, então não vai ser difícil. Acredito que eu deva sair para ir ao pediatra, ao posto de vacina e só. Depois, aos poucos, quero introduzir uma rotina de passeios no parque, na casa dos avós, essas coisas. No começo, povo que venha aqui. Nem acho certo a gente ficar pegando õnibus e metrô com nenêzinho.

A coisa mais relevante de todas, pra mim, é o Anderson mudar de horário no serviço dele. Nem acredito que isso vai acontecer. Vai fazer toda a diferença ele entrar de manhã e sair cedo, à tarde. Vamos poder montar uma rotina estruturada de forma “normal”, o que significa não trocar o dia pela noite, coisa que fazemos hoje em dia.

A outra coisa que eu pretendo retomar, quando estiver mais organizada, é a minha rotina de estudos para concurso público. Eu achei que pudesse estudar enquanto estivesse grávida, mas abortei a missão ainda em dezembro. Realmente não dá. Há outras prioridades para pesquisar, estudar, pensar, e nem tenho cabeça pra Direito, mas a mosquinha fica no meu ouvido toda hora me lembrando que preciso voltar. E também quero fazer diferente, talvez estudando uma matéria por vez, pra simplificar e pra aproveitar outros concursos que possam aparecer pelo caminho, por exemplo. Mas isso só vai dar pra organizar quando as coisas estiverem mais tranquilas por aqui.

This entry was posted in Maternidade. Bookmark the permalink.

5 Responses to Como vai ficar a minha vida depois que o Paul nascer.

  1. Mariii says:

    Oi vc escreveu algo que eu estava pesnando ontem, enstes 7 meses nunca havia de fato pensado nisso, e eu também sou da música, no momento gravando algumas coisas e ainda com banda, mas acho que não da mais para eu continuar com a banda!!!so depois…música é muito bom pra nós entrarmos em contato com nos mesmas eu acho que precisaremos de um espaço que não tenha a ver com a maternidade, por mais que ela seja a nossa vida agora!!!E ter uma banda, mesmo que seja um hobbie ou profissão vai fazer bem!!!invista nisso sim =) eu te entendo completamentebeijsss

  2. Di says:

    Oi Thais!Concordo com você, não devemos parar a vida por causa dos filhos. Podemos, sim ESCOLHER fazer isso por algum tempo e tal… Mas deixar de ser um individuo não. Afinal, é isso qe queremos que nossos filhos se tornem eventualmente, individuos capazes de se virar sozinhos (e que escolham ficar pertinho de nós sempre que possivel!).Concordo inclusive com o que a MAri falou, da musica. Acho uma idéia otima se vocês conseguirem conciliar o tempo de vocês a uma banda, mesmo que por hobbie. Musica alimenta a alma, a sua e a do Paul!Inclusive, queria perguntar uma coisa… Você sabe como/se consigo um ou odis dias em um studio pra "gravar um cd". Eu e o Taz tivemos uma ideia, e queria dar isso de presente pra ele… Nada comercial, sabe? Se você souber como, me da um toque, ok?Beijos, vai nessa que se você ja ta pensando em tudo isso antes do Paul nascer, acredito que ele tem muita sorte de ter uma mãe tão disposta e dedicada!

  3. Fernanda says:

    Nossa Thaís, essa semana comecei a pensar nisso tbm,inclusive o post que estou terminando de fazer é sobre isso. depois dá uma olhadinha no blog , mas só pra resumir, nós já nascemos com o instinto de mãe e ntão tudo o que vc quiser fazer(ou quase tudo) vc vai poder fazer, é claro adaptando -se, ou adaptando o bebê na sua rotina e nos seus compromissos, é bacana q desde pequeno ele já se acostume com algumas coisas que vc definitivamente não pretende abrir mão, como sair pra tocar com sua banda de vez em quando por exemplo.Mas fique tranquila que no final tudo dá certo, e tenha certeza que o Paul vai se orgulhar muito mais no futuro em saber que vc não abriu mão dos seus sonhos por causa dele, e sim que vc incluiu ele nos seus sonhos.bjus e fique tranquila querida.

  4. says:

    q massa vc toca bateria se eu morasse ai em sampa poderiamos fazer um som \m/ – eu toco baixo, flauta transversa, saxofone e canto ^^ – ando pensando mto nisso tbm viu

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s