Completando 8 meses.

Hoje eu completo 8 meses de gravidez segundo o programa Gravidômetro. De acordo com a contagem tradicional, isso só acontecerá quando eu completar 36 semanas. Como a contagem da minha idade gestacional está uma bagunça, a verdade é que tanto faz – tudo se resume a estar chegando a hora.

Providências finais:

* Estou lendo um montão de coisas a respeito de cuidados com bebês. Não leio mais sobre a gravidez em si, porque agora estamos tão no final que todas as informações que eu preciso se resumem às consultas médicas e aos resultados dos exames. Aliás, hoje tenho consulta com o meu GO e acredito que muita coisa será definida, especialmente com relação ao parto.

* Minha mãe fez o edredon e o kit berço, mas falta passar o viés (que é aquela bordinha), por isso ainda não postei aqui. Além disso, eu ia costurar os lençóis no domingo, mas fiquei daquele jeito e acabei adiando. Também é super rápido, coisa de um dia só pra costurar tudo. Depois, precisamos lavar pra deixar arrumadinho, e isso tem que ser feito enquanto ainda tem sol forte, pra secar em uma tarde. Minha mãe também quer fazer outro edredon com os tecidos que eu não escolhi para o kit berço, porque eles são tão lindos.

* Eu espero deixar o quarto pronto com 38 semanas, no máximo. Isso inclui o kit berço montado, lençóis colocados, kit higiene a postos, kit banho etc. Fiz umas comprinhas no site da Coza e creio que cheguem na semana que vem.

* Algumas providências que eu gostaria de ter resolvido viraram pendências e eu não gosto dessa palavra, mas é a realidade. Não consegui ir até o Poupatempo tirar meu novo RG porque não consigo sequer ir até a esquina comprar coisas no mercado direito. Semana passada fui e senti muita dor, deu até um medinho. Então preciso ficar sempre me lembrando que o GO pediu repouso até o final. Não repouso absoluto, mas moderado, o que não inclui andar pra lá e pra cá, e sim descer as escadas da casa devagar, cuidar das coisas por aqui, mas bem de leve. O problema é que eu fico querendo fazer um montão de atividades o tempo todo, daí não tem jeito né. Então essas pendências mais cansativas, que incluem pegar mais de um ônibus, metrô, fila etc, eu adiei pelo simples fato de ter medo de ir e me sentir mal. Vamos ver se eu consigo fazer isso tudo quando o frio chegar, o que espero que aconteça rápido e de vez. Certamente, se me garantissem que eu consigo registrar o nome do nosso filho somente com a nossa certidão de casamento, eu deixaria para fazer tudo isso bem, mas bem depois. O motivo de mudar RG agora é somente para que o nosso filho seja registrado com o meu nome novo, certinho, senão depois isso vai virar um problemão.

* A verdade é que eu estou reduzindo, como diz a propaganda. Tudo o que não é urgente, estou deixando de lado. Acho que é extremamente importante eu me cuidar agora nesse último mês, ficar mais relax, porque a responsabilidade do bebê vir na data certa é 90% minha. Várias das coisas que eu coloquei naquela lista eu vou adiar indefinidamente, como trocar o lustre do quarto. Simplesmente não preciso fazer isso agora, então sabem? É isso aí.

O que ainda falta comprar:

* Para a minha mala da maternidade, quero comprar um pijama com botões na frente. Tenho 2 camisolas e não quero comprar mais uma, porque nunca fui uma grande fã e um pijaminha flanelado será uma grande aquisição não só para o parto como para o inverno que vem por aí, dizem que bem mais rigoroso que nos últimos anos. A cinta pós-parto é cara. Juro que quero e preciso comprar, caso faça cesárea (é sempre uma possibilidade), mas não tenho dinheiro. Ainda temos tanta coisa pra providenciar e a cinta foi parar lá embaixo na lista de prioridades. Vai ser muito provavelmente a última coisa que acabarei comprando, se sobrar algum dinheiro. Outras coisas que eu gostaria de comprar são blusas com abertura na frente, pra facilitar a amamentação, mas pelo visto, tirando as camisas, não existem opções muito bacanas. De qualquer forma, estou de olho e, se encontrar algo, aproveito.

* Para o enxoval do Paul, nada de grandes aquisições. Quero encontrar uma ou duas mantinhas de lã para usar no carrinho quando formos passear com ele, no inverno. E dá pra usar em casa também, porque são tão gostosinhas. Além disso, pretendo comprar mais umas toucas e meias pela internet mesmo. O bebê conforto está em stand-by. Como não dirigimos, não sei se devemos mesmo comprar, mas como meus pais têm carro, talvez sim… talvez não. Se tivéssemos dinheiro sobrando, eu sequer estaria em dúvida. Porém, gastar R$200 assim, em um item que talvez a gente sequer utilize, é complicado. Infelizmente é a realidade.

* No quarto entra a maioria das coisas que precisamos comprar para manter tudo o mais organizado possível antes de o bebê chegar. Tem o varão da cortina, que já está pronta, então queria resolver logo o assunto porque entra muito pó pela janela. Queria resolver o problema de armazenamento (quem não tem problemas de armazenamento?) embaixo da cama e do berço com um gaveteiro que tenha tampa, mas não encontrei em nenhum lugar e também não tenho mais pique de mandar fazer a essa altura do campeonato. Pensei em utilizar aquelas caixas de plástico com tampa, que seriam uma solução rápida, mas não a mais bonita e nem tão mais em conta assim, porque essas caixas custam uns R$50 cada. Por esse motivo, ainda não resolvemos o assunto, mas o tempo passa rápido e realmente precisamos de espaço para guardar a roupa de cama, pelo menos a do Paul (cobertores, lençóis, colchas… tudo isso ocupa muito espaço). Preciso me lembrar também de comprar aqueles negócios anti-insetos de colocar na tomada.

Um adendo muito importante: a gravidez acaba no parto, mas a maternidade está apenas começando. Vejo muita gente se preocupando excessivamente com os preparativos até a chegada do bebê, mas esquecendo a imensidão de fatos que ocorrem quando ele vem ao mundo. Isso é um alerta mesmo para mim, porque estou grávida pela primeira vez também e, por mais que a gente leia, se informe, troque ideias, nunca sabemos de verdade o que esperar. Então algumas providências que já estou me preparando incluem:

* A realidade da recuperação no pós-parto. Se for parto normal, como cuidar dos pontos da provável episio? Se for cesárea, quais os cuidados e limitações? Como será a rotina aqui sem poder subir e descer escadas para fazer comida, lavar a roupa, limpar o quarto, trocar as lixeiras do banheiro e outros procedimentos rotineiros?

* Como será a convivência do bebê com o resto da família? Ouvirei reclamações dos vizinhos se o bebê estiver chorando de madrugada? Anderson vai ajudar da forma como eu espero (e ele também)? Ele vai conseguir tirar férias? Minha mãe virá todos os dias ajudar com o almoço? E quando ela não puder?

* Como e quando devo retornar ao hospital para tirar os pontos da cesárea, se for o caso? Quando devo levar o bebê para tomar as primeiras vacinas? E a primeira consulta com o pediatra? Que pediatra? Ontem liguei para marcar um pediatra pelo meu convênio e só tinham datas disponíveis a partir de 5 de maio. Será que esse primeiro retorno será na própria maternidade? Quais as ocasiões em que teremos que sair de casa nos primeiros 60 dias?

* Onde pesar o bebê semanalmente para saber se a amamentação está sendo eficaz? O que fazer se eu achar que ele não está respirando? O que fazer se ele engasgar? Como identificar que ele tem refluxo? O que fazer se ele não parar de chorar por nada nesse mundo? Em quais ocasiões preciso levá-lo imediatamente ao pronto-socorro? Quais ocasiões desesperadoras nós podemos resolver em casa mesmo?

E a pergunta que não quer calar: como sobreviver com alguma sanidade ao primeiro mês?

Às vezes paro para pensar e não consigo acreditar que vamos ter um filho. É tão mágico. E ok, ele vai crescer, virar uma pessoa normal, como qualquer outra… mas… nunca para a gente. Ter um filho é o maior rito de passagem que existe. Nada é igual ao período pré-filhos. Parece uma outra vida, super distante, onde eu não sabia exatamente qual era o meu propósito. Não é questão de resumir a vida ao filho, mas é uma mudança radical mesmo, e só quem passou por isso sabe.

Puxa vida, como eu amo o nosso filho! E esse amor está só começando, gente! Imagina o quanto ainda não vai crescer, o quanto não vamos viver juntos, descobrir… é sensacional. Eu amo a minha família.❤

This entry was posted in Gravidez. Bookmark the permalink.

10 Responses to Completando 8 meses.

  1. Adoro seus posts!Da uma passadinha no meu blog depois que coloquei as fotos do quarto do Felipe. Estamos fazendo com tema do Yellow Submarine. Ainda não está pronto, mas está quase ficando! rsrsBjosss

  2. Thais Bessa says:

    Nossa, se prepare mesmo para o primeiro mes, eh muita canseira. Leia, muito, eu li, mas na verdade, na hora H, o mais importante eh saber "ler" o seu filho, obersar os sinais dele, a personalidade… dai vc adapta o que leu. O que funciona pra um bebe nao funciona para outro. E torce para ele nao ter colicas, porque eh f… (ainda estamos nessa).Ah, sobre o pediatra, conversa com seu GO sobre quem eh o pediatra que trabalha com ele na sala de parto, isso eh muito importante. Apos a alta da maternidade os retornos em geral sao com 7 dias e com um mes e dai em diante so de mes em mes. A primeira vacina eh no hospital ainda (contra hepatite B). Com uma semana a BCG e com um mes a segunda dose da hepatite B. Depois so com 2 meses. Mas isso tudo o pediatra vai explicando, tirando duvidas…

  3. Di says:

    Oi Thais.OLha, acho que posso te dar uns toques legais sobre umas das questões que você levantou:1 – com relação ao Pediatra, acho que vale a pena você descobrir se o seu convenio da reembolso. Lmbro de ter lido algo sobre vocÊS TROCAREM de convenio, então na verdade seria melhor que você procurasse um pesiatra ja do outro convenio, e se fosse o caso, guardar o dinheiro da primeira consulta, que deve ser feita no MAXIMO 1 semana após a sua saida do hospital, e estando tudo bem, todo mes a partir dai.as primeiras vacinas são dadas na maternidade, e todo mes, ate os 18 meses, tem uma vacina a ser dada, seja nos postos de saude, seja na rede particular, como a de meningite. Mas tem todo mes, e devem ser dadas assim que seu bebe completar aquele mes, se possivel.os pontos da cesarea você ira retirar no consultorio do GO, normalmente, e não no hospital. Pergunte pra ele sobre isso.Uma boa forma de resolver a questões das tarefas domesticas é quando fazer comida, quem for fazer e preferencialmente não deve ser você, congelar em porções separadas para 1 refeição, ou seja, congelar "pratos prontos", assim vocês ficam mais livres para se dedicar ao Paul, e o maridão dar uma geral na casa. ^^No primeiro mes é muito importante que você durma o maximo possivel, alias, façla isso enquanto mo Paul estiver mamando. NÃO SIGA a rotina da ENCANATODORA DE BEBES no primeiro mes pelo menos. PERGUNTE e CONFIE no pediatra que vai cuidar do seu filho como você deve proceder com a amamentação e não em um livro.boa sorte

  4. Nat says:

    Caramba, vc já está na reta final!Concordo que nós gravidinhas nos preocupamos muito mais com a gravidez do que deveríamos… Enquanto essa fase dura 9 meses, ser mão é pra sempre! Criar uma criança é bem mais complexo…beijo

  5. Rosangela says:

    Thais realmente depois que o bb nasce a nossa vida fica praticamente 24 hrs em torno dele, os dois primeiros meses sao mais puxados porque a gente tem que acostumar com o bb e ele com a gente. Imagina: la no utero ele tinha tudo e agora sente frio, dor, fome e a gente por outro lado tem que aprender a desvendar o que ele esta sentindo. Eu ja tenho um filho e vou te falar na primeira gravidez eu era neurotica, de ir no berco ver que o bb esta respirando mas agora espero ficar mais tranquila (eu acho ne KKKK, pq cada bb eh unico).Mas nao tem nada que que seja mais gratificante depois disso tudo eh olhar pra carinha do nosso filhote e ver aquele sorriso!

  6. Thais says:

    Oba, brigada pelas dicas, gente! Ajudam muuuito!

  7. Cacau says:

    Thais é assim mesmo, ainda estou trabalhando e sem tempo de ler por isto muitas das informações pego dos blogs que leio e esta ansiedade toda é unamine entre as mamães, mas o negócio é relaxar. Bjs, Cacau

  8. Camila says:

    Só pra acrescentar o que as meninas falaram aqui, não esqueça de separar dinheiro para as vacinas que são dadas em clinicas particulares e são cobradas! Elas são carinhas e não existem na rede pública de graça! Eu não lembro quais são agora, mas se não me engano uma delas é a da meningite. Eu não sabia que tinha vacina que nao existia de graça e muito menos que eram caras, até uma amigona ter o primeiro bebe dela.Geralmente os bebes dao sinais de refluxo. Eles regurgitam logo que mamam. Um sinal de cólica é a agitaçao das perninhas e a espuma nas fezes. E claro, o choro! hehe

  9. Posso tentar ajudar?Primeiramente, faz um tempão que sempre passo aqui pra dar uma olhadinha no seu blog, gosto de mais dos seus posts. Como mãe de segunda viagem recente (minha filha mais velha tem 1 ano e 9 meses e estou de 16 semanas de outra gatinha…) posso te dar as seguintes dicas que as meninas ainda não deram:Se vc fizer parto normal, os pontos da possível episio caem sozinhos e são super faceis de cuidar, a recuperação é quase que imediata, então em pouco tempo vc poderá retomar a sua rotina, já se for cesarea como eu a recuperação é um pouco mais lenta. Abaixar e agachar serão tarefas mais dificeis, então é legal deixar as coisas de uso mais no alto. Vc fatalmente vai precisar de ajuda pra dar banho no bebê nos primeiros dias q inclinar tbem não é legal. Os pontos são retirados com o seu médico de 7 a 10 dias depois, os meus foram com 10 dias e depois disso vc já está quase 100%. E se quer um conselho precioso? Desencane da casa! Vc terá muito tempo na vida pra tirar as teias de aranha do teto, relaxa, não precisa ser nos 7 dias depois do parto….Não sei como funciona por aí, mas aqui eu já saí da maternidade com a consulta agendada ao pediatra e meu retorno ao GO. A primeira consulta do bebê é em 7 dias e a sua de 15 a 30 dias depois do parto. A primeir avacina é dada no hospital e um detalhe muito importante é que ela pode dar reação até 45 dias depois de dada… kkkk. As vacinas são dadas de 2 em 2 meses pelo SUS o resto é pago mesmo e opcional. Nos primeiros 60 dias normalmente tem umas tres consultas ao ped, uma consulta ao GO, teste do pezinho, orelhinha e olhinho, tem de ver quais desses são feitos na própria mater por aí. Sobre o peso, eu só pesei a Li nas consultas médicas mesmo, acredite em mim vc saberá se a amaentação não estiver sendo eficaz pq o bebe vai chorar excessivamente. E se quer outro conselho, dê uma passadinha no banco de leite da sua cidade pra aprender a amamentar. É incrivel como ajuda! Amiga, se ele engasgar, coloque ele em pé com a cabeça no seu ombro e bata nas costinhas, se for grave peça ajuda telefonica aos bombeiros enquanto não chega ao socorro, mas isso não vai acontecer, fica tranquila.Minha teve refluxo e os sintomas foram mamadas frequentes com pequeno espaço de tempo, choro excessivo que nada resolvia e uma enorme (enorme mesmo) quantidade de leite gorfada e não era aquele leite com aparencia de qualhado, ou seja, meio digerido pelo bebe e sim aquele leite que parecia que nem havia chegado ao estomago dela. Quando a Li mamava, eram 40 minutos mamando e bastava coloca-la de pé e atras de mim fazia um poça de leite no chão. Fora o baixo peso.Vc precisa levar o bebe imediatamente ao pronto socorro em caso de febre alta, 38º já é mega preocupante. Obviamente em caso de algum trauma ou coisa assim ou engasgo. Mas febre é motivo de médico. A Li teve febre com 6 meses e eu medi em casa 37.8 tentei medicar e quando cheguei ao hospital ela estava com 39.9 e só uma injeção resolveu. Cólica dá pra resolver em casa. A Li teve pouco mas só aliviava quando eu passava uma fralda no ferro e deixava morninha na sua barriga. Com ela de bruços.Agora, quanto a pergunta: como sobreviver com alguma sanidade ao primeiro mês? Essa é fácil!Parece insano agora que vc está grávida, mas nascendo um filho nasce uma mãe (acredite, é piegas mas é verdade… kkkk) e quando vc estiver vivendo esse momento vc vai ver que nada é tão dificil como falam!Pra ser sincera? Tudo piora! kkkk Vc vai ver que o primeiro tombo mesmo que bobo vai ser muito mais incomodo pra vc do que as noites sem sono, que vai ser bem dificil ve-lo dando thauzinho pra ir brincar com os amiguinhos e nem ligar mais pra vc e perceber que um dia ele não usará mais fraldas vai fazer vc pensar: Meu Deus, ontem mesmo eu pari! E no final das contas tudo vai virar boas lembranças!boa hora pra vc!

  10. Thais says:

    Juliana, eu vi. Vai ficar uma graça.Thais, se vc puder, conte como estão encarando a fase das cólicas. Acho que é o terror de todos os pais mesmo. Obrigada pelas dicas das vacinas.Di, estamos no processo do novo convênio. Creio que até semana que vem já esteja resolvido e eu quero marcar sim. Quanto à rotina da Encantadora, eu já desencanei de seguí-la no começo. Acho que intuição é fundamental e na prática a gente tem que ver as necessidades do nosso filho na hora, e com o tempo sim adaptando, impondo uma rotina, se ele estiver bem, saudável, alimentado etc. Obrigada por ter comentado.Camila, sim, já me alertaram quanto a isso. Uma coisa que também já me disseram, e vou arriscar, mas tendo um plano B, é que se vc pedir uma cartinha da pediatra do SUS, vc consegue vacinar de graça. Vamos ver! Mas tem que contar com esse dinheiro mesmo.Carla, adorei a sua mensagem! Muito obrigada por postar! Quanto à casa, é relax. Fico preocupada com a limpeza diária do quarto mesmo, jogar o lixo fora, esse tipo de coisa. Mas não vai ter jeito… maridex vai fazer tudo. =)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s