Esclarecimentos sobre outros filhos e o meu tempo.

Sobre querer ter mais filhos, estava conversando com o Anderson. Muito da bad trip do final da gravidez + parto + puerpério foi decorrente da falta total de experiência, da morte do meu pai, de eu ter brigado com a minha mãe, de ter que ir às pressas para a casa da minha sogra e ficar longe de casa etc. Acho que enfrentar tudo pela segunda vez seria bem mais tranquilo. E, convenhamos: o problema não é ter mais de um filho, mas ter ou não ter filhos. Se você já tem um, sua vida é outra. Ter um segundo faz parte. Ou você é o Snape, ou é a Molly Weasley. Sério! E acho legal ter família grande.

Mas penso assim, quando o Paul tiver uns 3 anos. Daí ele já vai estar maiorzinho, entendendo mais, (com sorte) sem usar fraldas. Acho legal ter um irmão porque eu sou filha única e é chato. Irmão, por mais que brigue, é uma pessoa vinculada a você para o resto da vida. Aquela pessoa que, quando seus pais morrerem, ele é a sua família. Eu sinto falta de um irmão. Teria sido muito diferente tudo.

Com relação ao parto, hoje vejo que muito foi do nervosismo + falta de experiência também. Eu achei o que, que a anestesia não doeria nada? Que o pós-parto seria tranquilo? Tem que encarar com uma dose forte de realidade. Na verdade, eu li tanto pessoal dizendo na época que era tranquilo etc, que não esperei sensações ruins. Burrice.

Além do que, espero estar muito mais estruturada financeiramente quando tiver um próximo filho. Vou poder me preparar bem, deixar comidinha pronta no freezer, contratar uma empregada em tempo integral durante 1 mês pra cuidar das roupas e da casa, farei estoque de tudo o que eu possa precisar, essas coisas.

* * *

Pessoal me pergunta como eu tenho tempo de atualizar tantos blogs, cuidar do filho, do marido, da casa etc. Organização, gente. Vocês conhecem a minha rotina. No tempo que eu tenho livre, me organizo pra fazer tudo o que eu preciso fazer. Não perco tempo. Quando o Paul está acordado e está brincando sozinho, aproveito para fazer outras coisas na presença dele – arrumar o quarto, guardar as roupas, lavar as mamadeiras, fazer faxina no banheiro. Deixo ele na cadeirinha ou brincando na cama e vamos que vamos. Se ele chora ou eu percebo que está com tédio, dou uma volta com ele, brinco, abraço, esqueço o resto. Mas, no geral, dá pra fazer tudo o que eu preciso sem deixar de ficar com ele. Quando ele dorme, faço coisas que demandam mais a minha atenção, como escrever.

Claro que são necessárias as seguintes coisas:
– organização;
– efetividade;
– concentração/foco;
– estabelecer prioridades;
– capacidade de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo;
– desencanar;

Organização para planejar e deixar tudo pronto com antecedência. Se ele vai mamar às 15h, às 14h50 a mamadeira já está pronta. Organizar significa economizar tempo.

Efetividade ao fazer direito o que estou fazendo no momento. Se tenho 15 minutos para ler e responder e-mails, é o que eu vou fazer, sem embaço.

Foco quando precisa de foco. Exemplo: agora vou sentar e escrever um texto para o blog. O foco torna tudo mais ágil. Significa que, se eu estou dando de mamar, aquilo que importa, não o resto. Não vou parar de dar de mamar para ir ao banheiro, se estou apertada.

Estabelecer prioridades significa descansar quando preciso descansar, ficar com o Paul quando ele precisa de mim, esvaziar as lixeiras quando estão transbordando etc. Não faço as minhas unhas há séculos. Até poderia fazer, mas prefiro investir meu tempo em outras coisas. Quando der pra fazer, eu faço. Não tenho neuras com relação a isso. Eu não ligo se a louça está suja se o Paul precisa de mim 100% do tempo em um dia. Essas coisas acontecem. O negócio é não pirar! Tem que fazer o que for mais importante e só. Vale lembrar que dormir e descansar também são prioridades!

Capacidade de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo é básico. Coisas que não demandam atenção integral, obviamente. Tipo ler enquanto está no banheiro. Lavar as mamadeiras enquanto o arroz está no fogo. Limpar o quarto enquanto canta para o filho.

Desencanar dos outros, principalmente. O que importa é o seu filho, você, sua família. Sua vida não é a mesma e seus amigos também vão mudar. Quanto antes você aceitar este fato, melhor.

Eu tenho um caderninho que eu levo pra lá e pra cá e vou anotando tudo o que preciso fazer, comprar, além de ideias gerais. Me ajuda demais. Não confio na minha cabeça – preciso anotar tudo. Isso eu recomendo para qualquer pessoa.

Se tem algo que me irrita, é quando alguém me diz que “não tem tempo”. Porque, óbvio, todo mundo vive numa loucura corrida hoje em dia. Por isso mesmo, tem que saber administrar e priorizar! No meu caso, quando digo que não tenho tempo, significa: “isso não está entre as minhas prioridades no momento, então sinto muito”. Mas é claro que a gente precisa colocar na balança e fazer uma coisa ou outra diferente de vez em quando, porque só fazer o que é “útil” enche o saco, te torna uma pessoa estressada e, possivelmente, infartada.

Organização, pessoas! Organização é balancear tudo isso aí!

This entry was posted in 2 meses, Eu, Organização. Bookmark the permalink.

11 Responses to Esclarecimentos sobre outros filhos e o meu tempo.

  1. Fabiana says:

    Ahhh.. mas com os posts tão detalhados, bens escritos e divididos em tópicos nem precisa falar que você é organizada =)E filhos, ahhh, tb quero ter outro. Se pude$$e, teria muuitos.Bjos.

  2. Ju Chicrala says:

    Nossa adorei seu blog…determiação admirável a sua viu!Quero ler todos os posts anteriores!!Beijoss

  3. Thais Bessa says:

    Cara, eu estava pensando justamente isso, esses skills que a gente já tem (somos parecidas na organização, time-management, attention to detail, etc), são desenvolvidos à potência um milhão com a maternidade. Além de outros, como a capcidade master de fazer várias coisas ao mesmo tempo e trabalhar sob extrema pressão, hehe. A merda? Não rola colocar isso no currículo, tipo: Fevereiro 2010 – Presente, cargo: mãe, principais tarefas e habilidades: todas essas. Devia muito ser aceitável colcoar isso no currículo, são skills que vão longe no ambiente de trabalho!Sobre outros filhos, eu penso pra nascer quando a Isabella tiver entre 3 e 4 anos, segundo o Ben todo ano de Copa a gente tem filho, hahaha. Mas falado sério, acho essa a diferença ideal: mais que isso eles ficam muito distantes, sempre em fases muito diferentes da vida e menos que isso rola muita competição.Bjos

  4. Viviane says:

    Olá Taís!Te admiro pacas, já admirava antes essa sua capacidade de fazer zilhões de coisas ao mesmo tempo…e agora com essa super explicação descobri como funciona rá! To chegando no level 4 de 10 no quesito fazer milhões de coisas…hehe e é impressionante como tudo depende de você depois que vc tem um filho! Quando digo tudo, é tudo mesmo… as vezes estressa a falta de compreensao das pessoas, mas a gente vai levando e fazendo o que é prioridade como vc bem disse, o resto é resto!

  5. Oi,isso de ter dois filhos ou mais é totalmente verdade, por mais que cada um seja diferente, sei que tudo passará e eu estou aproveitando bem cada fase. Eu também sou filha única e pensava, por causa das finanças, que Alice seria também. Mas aí aconteceu Arthur. Na infância eu não sentia falta de irmão, mas hoje sinto! E muita!Abraços,

  6. Camila says:

    Eu tbm fui filha única por muito tempo e achei super chato! Eu e minha irma temos 1 diferença de 12 anos e somos praticamente 2 filhas únicas!Quero dar um irmão ou irmã pra Olívia qdo ela tiver uns 3 anos tbm! Acho inmportante esse vinculo!

  7. Simone says:

    Thais, sou sua fã!!!E é verdade essa história de administrar o tempo. Todos vivemos em um mundo corrido, agora tem tempo para fazer tudo quem sabe administrar melhor o tempo.Estou aprendendo isso aos poucos e minha vida está muito melhor depois que percebi isso.E sobre ter outro filho, concordo com vc.Quero ter dois, com uma diferença de idade de mais ou menos 3 anos também. Assim um faz companhia para o outro.Eu não sou filha única, mas é como se fosse, pois a diferença entre minha irmã e eu é de 16 anos!!! (Ela é a mais nova dos irmãos depois de mim, a diferença entre os irmãos só aumentam – o meu irmão mais velho tem 55 anos!!!).Beijos pra vc e pro Paul, que tá a cada dia mais fofo.

  8. Que legal que pensa num segundo filho, tb tenho esse pensamento, acho importante, cheguei a ter dúvidas no início por questões óbvias das dificuldades do pós parto e tudo mais, mas eu sempre quis e quero ter outro, e tb pretendo esperar a situação se estabilizar, até lá o Lennon terá uns 3 aninhos tb…espero que tudo saia como o programado..rsrsquanto a sua organização…adoro!! Nunca fui muito desorganizada, mas tb nem tão organizada como vc…tô aprendendo um bucado, com certeza!! bjs CUMADRE!! hehe

  9. Michelle says:

    Eu era assim antes de ficar grávida, fazia mil e uma coisas ao mesmo tempo, tinha uma mega disposição. Mas depois que engravidei… Agora então, depois da 30ª semana, fiquei muito preguiçosa e indisposta. Vc lembra de ter ficado assim?E se eu estou disposta, as dores não me deixam ficar em pé por muito tempo. Tenho sofrido demais com refluxo, azia e dores super fortes no estômago. E agora começaram as dores e pontadas na pelve… daí já viu.Mas acho super legal essa sua organização e dedicação tbm. Vamos ver se me inspiro!

  10. Thais says:

    michelle, todo mundo fica só o pó no final do terceiro tri, não se preocupe! ;D

  11. Mariana says:

    Adoro seu jeito de escrever! Gostaria de ser mais organizada, de conseguir me planejar para almoçar sem pressa e não ficar tanto tempo na net… vc é um modelo a seguir. Parabéns

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s