Dúvidas, problemas e soluções para crianças com 4 meses.

O bebê não para quieto na hora de trocar a fralda ou trocar de roupa. Normal, e só tende a piorar! Quanto mais mobilidade eles conquistam, mais irritados ficam por estarem imobilizados. As dicas são: seja rápida e deixe algum brinquedo perto do trocador para distraí-lo.

O bebê já fica sentado com apoio ou no carrinho, mas as vovós falam um monte. Se o bebê já fica sentado, não tem com o que se preocupar. O que não pode é deixá-lo sentado caindo para os lados ou para a frente, pois isso pode machucar a coluna dele. Mas se ele quer ficar assim, nem se preocupe com as palpiteiras de plantão (o que já deveria ser regra em qualquer ocasião). Quando o bebê cansa de ficar sentado, ele demonstra claramente – chorando, resmungando ou tentando deitar. Deixar o bebê sentadinho é muito bom para ele, pois oferece um ponto de vista diferente do mundo! E, nessa fase, quando eles começam a descobrir tudo, desperta demais a atenção e a curiosidade deles.

O bebê quer ficar o tempo todo em pé, mas as vovós dizem que ele vai ficar com as pernas arqueadas ou corcunda. Sempre observe o seu bebê, não as vovós! Se ele quer ficar de pé, é porque já está pronto para fazer isso. É divertido para eles, um excelente exercício e uma mudança excitante para quem estava acostumado a ficar olhando o teto o tempo todo. Apenas não force-o se ele não fizer força para levantar. Deixe ele ditar o ritmo do próprio desenvolvimento.

O bebê chupa o polegar, mas o medo é que ele não largue o dedo. Essa é a fase em que os bebês descobrem as mãos e querem colocá-las o tempo todo na boca. Não se preocupe com isso agora. Deixe seu bebê se satisfazer sozinho um pouco, pois é importante para ele. Se está realmente incomodada, tente substituir o dedo por uma chupeta, que é outro hábito a ser eliminado, mas ao menos é mais fácil de eliminar.

O bebê é tão gordo que mal consegue se mover. Verifique a sua alimentação e o seu comportamento de resposta ao choro (LM) ou o que está dando ao seu bebê (LA + engrossante). Casos de sobrepeso ainda bebês são mais comumente associados à obesidade mais tarde, e ter um bebê gordo não significa que ele é saudável! As vovós (elas estão sempre atentas, hehe) acham uma maravilha um bebê gordinho, mas do ponto de vista da saúde dele, isso não é muito legal. Mantenha-se na curva (que já é ajustada pela OMS devido ao aumento da média de sobrepeso, o que é alarmante!). Maneiras de controlar:
– dê de mamar somente quando ele estiver com fome, e não para satisfazer todas as necessidades do bebê. ou você quer ensinar desde já a associação entre comida e conforto? o bebê alimentado por motivos errados (ex: a mãe dá de mamar quando o bebê cai e machuca o joelho, para confortá-lo) vai continuar exigindo alimentar-se pelos motivos errados, e isso não é legal! em vez de amamentá-lo toda vez que ele chorar, observe porque ele está chorando e, se não for fome, tente acalmá-lo com carinhos, cantando uma música, distraindo-o e confortando-o de outra forma, igualmente amorosa.
– se você dá leite artificial engrossado com cereais, melhor parar, ou reduzir para uma ou duas vezes por dia no máximo. até os seis meses, não é necessário engrossar o leite, mas há bebês que já se acostumaram porque os pais introduziram isso na dieta há algum tempo.
– dê água no intervalo entre as mamadas.
– se você já começou a introduzir sólidos na alimentação e o bebê continua mamando o mesmo que antes, tente reduzir a quantidade de leite aos poucos, ou a quantidade de sólidos.
– faça com que seu bebê se movimente! estimule-o a ficar de bruços, sentar, ficar de pé, segurar as perninhas, colocar o pé na boca, brincar de “serra-serra-serrador”. são exercícios.

O bebê é muito magro. Se ele estiver dentro da curva, não há com que se preocupar. É, aliás, motivo para se despreocupar, isso sim. Significa que a alimentação dele está adequada e ele começará a se desenvolver fisicamente mais rápido que os bebês gordinhos. Se ele começar a perder peso ou estiver abaixo da curva, tome providências orientadas pelo pediatra.

O bebê faz cocô preto, ou muito escuro. Geralmente isso é resultado de excesso de ferro no organismo, causado pela sua alimentação ou pelo leite artificial ingerido pelo bebê, que normalmente é fortificado com ferro. Mal não faz, e todos os médicos são catedráticos nisso. Agora, se o seu bebê não toma LA com ferro e você reduziu na sua alimentação, converse com o pediatra.

Massagem no bebê. Qualquer atividade entre mãe e bebê (e pai e bebê) aumenta a ligação afetiva entre eles. A massagem é muito gostosa e pode vir na sequência do banho, na rotina noturna, antes de dormir. Você pode utilizar um óleo próprio para bebês e massagear levemente o corpo do bebê, ou até estudar o assunto mais a fundo (pesquise sobre shantala). A massagem tem diversos benefícios e é uma prática a ser levada por toda a infância.

Dúvidas sobre atividades e exercícios com os bebês. Observe o desenvolvimento natural do seu filho, em primeiro lugar. É claro que diversos estímulos podem ser feitos, mas não force a barra com coisas que ele ainda não pode fazer. Algumas atividades básicas e simples:
– quando estiver brincando com o seu filho, estimule-o visualmente (sorrisos, caretas), com som (falando, cantando), com o toque e com algum exercícios (colocá-lo de pé no seu colo, por exemplo).
– torne a atividade divertida conversando com o bebê enquanto faz qualquer coisa, até guardar as roupas dele no guarda-roupa enquanto ele fica no berço ou no tapetinho. descreva o que está fazendo e pergunte o que ele está fazendo. pode parecer nonsense, visto que ele não pode responder, mas esse é o primeiro passo para a interação.
– não limite as atividades do bebê deixando-o sempre preso na cadeirinha, no berço ou no carrinho. bebês dessa idade já podem brincar no tapetinho no chão, o que inclusive os estimula a engatinhar, mais tarde. se ele já sabe rolar e ficar de bruços, todas essas atividades são exercícios empolgantes, porque há bem pouco tempo ele só sabia mexer braços e pernas de maneiras descoordenada. deixe-o brincar!
– não force a barra, mexendo no seu filho o tempo todo. deixe-o sozinho também (sempre sob supervisão, claro). deixe-o no tapetinho enquanto arruma o quarto, brincando sozinho, olhando para onde quiser e mexendo os braços e pernas quando quiser.
– garanta que ele esteja sempre bem alimentado, tendo uma rotina de mamadas.
– não o deixe superestimulado com muitas atividades! ficar rolando para lá e para cá já é uma atividade e tanto. ele não precisa de brinquedos que piscam e fazem barulho. você pode deixá-lo brincando com eles, mas há uns 40 minutos da hora de dormir (mesmo sonecas), deixe-o mais tranquilo, senão ele não conseguirá se acalmar e o sono será agitado.
– muito importante: dê o exemplo! exercite-se também. ande mais a pé, carregue-o no sling para uma caminhada de meia hora, faça exercícios de alongamento em casa. se o bebê cresce observando isso, ele terá uma tendência maior a gostar de se exercitar mais tarde.

Dúvidas sobre os brinquedos adequados. Faça-se as seguintes perguntas, ao deparar com um brinquedo que gostaria de comprar:
– é adequado à idade do bebê? leia primeiro a recomendação na embalagem. depois, verifique o interesse que o seu bebê possa ter. bebês mais adiantados frequentemente preferem brinquedos de uma idade mais avançada, porque são precoces. porém, fique atenta com isso, pois é exceção. a regra é eles não se interessarem pelo brinquedo muito avançado, além de descartarem-no quando tiverem idade para ele.
– é estimulante? sempre é interessante um brinquedo que estimule a visão (espelhos, móbiles), a audição (caixinhas de música, bichinhos com sino na barriga), o tato (aparelhos que ficam no berço para ele puxar, um painel de atividades) ou o paladar (mordedor).
– é muito estimulante? se um brinquedo acende luz, se move e faz barulho ao mesmo tempo, provavelmente é estimulante demais para um bebê. evite.
– é seguro? ao escolher um brinquedo, verifique o seguinte: firmeza (descarte brinquedos que pareçam se quebrar facilmente), acabamento seguro (tintas que não descolam, ou atóxicas), construção segura (nada de pontas ou peças pequenas), facilidade para lavar (se esse brinquedo levasse um jarro de vômito, seria fácil de limpar?), tamanho seguro (partes pequenas ou desmontáveis sempre são um perigo), nada de fitas ou cordões (risco de sufocamento) e sem sons que agridam a criança (veículos motorizados, aviões de brinquedo e bichos que falam muito alto podem ser riscados sem dó da sua lista).
– você aprova filosoficamente o brinquedo? você quer que a sua filha ganhe um tanquinho quando for maior? ou o seu filho ganhe um revólver de plástico? todas essas coisas precisam ser levadas em conta. para bebês, isso não é tão grave, porque as opções geralmente se resumem a bichinhos, bolinhas e palhacinhos. mas decida desde já que valores devem ser transmitidos ao seu bebê.

This entry was posted in 4 meses, Atividades. Bookmark the permalink.

5 Responses to Dúvidas, problemas e soluções para crianças com 4 meses.

  1. Muito bom saber sobre brinquedos adequados, porque Rodrigo adora ficar olhando os brinquedos mais chamativos que acendem e piscam e se movem e fazem muito barulho. Eu tenho sempre que puxar as orelhas dele para coisas menos assustadoras para bebês e ele fica de cara feia! bjoss thais!!!gabyhttp://gabykmara.blogspot.com/

  2. Thais, ganhei a tesourinha de unha da lillo e não sei se é boa mesmo para cortar unha de bebê, principalmente, já que a unha é tão fininha. Vc já testou alguma? Qual vc usa? bjosssgabyhttp://gabykmara.blogspot.com/

  3. Laudiane says:

    Quatro meses que delíciaQuantas descobertas e ficam atentos a tudo e é muito importante ter tudop adequando e seguro pro bnb, brinquedos acessórios. segunraça é fudamental e queremos sempre o melhor peo nossos bens mais preciosos…Lindos dias e seu blog é sensacionalBeijos

  4. Kalidja says:

    Oi Thaís, primeiro parabéns pelo blog, ele é super útil rsrs! Sempre leio o que vc escreve, principalmente sobre a rotina. Tenho uma bebê de 1 mês e estou tentando fazer uma rotina com ela desde que chegamos da maternidade, mas o meu maior obstáculo é que não consigo controlar as sonecas dela. Dia ela dorme pouco noutro dia ela dorme muito e assim eu me perco durante o dia. Queria saber o que vc aconselha nesse caso. Ah e o que vc faz pra que o Paul acorde no tempo certo nas sonecas? Vc o acorda ou ele desperta sozinho? Um abraço e parabéns pelo filhote!

  5. Thais says:

    Gabriela, eu ganhei mas não me lembro a marca!Kalidja, eu aconselho a você que observe quanto tempo ela consegue ficar acordada sem apresentar sinais de sono! Sabendo isso, sempre passar esse tempo você já deve colocá-la para dormir, em todas as ocasiões em que ela estiver acordada!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s