Sono do Paul aos 8 meses.

Paul tem acordado entre 7h30 e 8h30 todos os dias. Geralmente acorda às 8h30 quando foi dormir mais tarde na noite anterior ou mamou bem depois do horário “oficial” da mamada dos sonhos.

Se estiver muito calor, ele fica agitado e não dorme pela manhã, fazendo a única soneca do dia logo depois do almoço. Nos dias normais, ele dorme por volta das 10h, até às 11h (ou seja, sempre 1h – dificilmente essa soneca é mais longa, mas há dias em que isso acontece).

Se ele não dormiu de manhã, dorme depois do almoço (por volta das 13h) e acorda cerca de 2h depois. Quando ele dorme de manhã a soneca da tarde é melhor. Se ele só dorme à tarde, dorme menos (aí a verdade da superestimulação, mas isso é devido ao calor, não a algo que a gente faça ou deixe de fazer).

Se ele faz as “sonecas ideais” (1h de manhã e 2h) à tarde, por volta das 19h30 damos banho e, às 20h, ele já está dormindo. Esse horário mudou por causa do horário de verão. Não fomos nós que fizemos isso – foi o próprio organismo dele que mudou a necessidade para mais tarde, de acordo com o horário original, que basicamente se resume à hora que finalmente anoitece. Vale lembrar que o Paul sente sono quando anoitece, e não porque foi acostumado a determinado horário.

Algumas vezes, ele cochila no final da tarde e acorda antes das 21h. Isso acontece quando ele não dormiu de manhã e tirou a soneca da tarde mais cedo, logo depois do almoço, ou quando saímos e ele cochila no carro antes de anoitecer, por estar cansado. De qualquer forma, é o tempo de acordar feliz, brincar um pouco, trocar a fralda e ir para a cama novamente. Ele sabe que de noite, mesmo que papai e mamãe estejam acordados, é hora de dormir. Ele adormece com facilidade. Sei que isso é resultado de repetir a mesma rotina durante meses.

Ande mudou o ritual do sono dele. Antes, eu fazia de acordo com o que a Encantadora recomendava: colo, chupeta e berço ainda acordado. Dava certo. Porém, como eu não mando no nosso filho e preciso aprender a aceitar que o pai dele pensa diferente, o ritual passou a ser de outra forma, pois ele que cuida de tudo de noite: banho, troca, mamada e colocar para dormir. Ele acostumou o Paul a pegar no sono deitado na cama com ele e, quando ele estivesse dormindo, o colocava no berço. Não, eu não acho certo, mas é como ele se sente à vontade fazendo. Como ele assumiu a responsabilidade pelas acordadas durante a noite, permiti (e nunca dormi tão bem desde que ele nasceu!).

Paul dorme no berço até a mamada dos sonhos, quando nós o pegamos, damos a mamadeira com ele dormindo e o colocamos de volta. Ele dorme bem até certa altura da noite, quando acorda sentindo nossa falta (às vezes isso acontece quando já está amanhecendo). Ande levanta e o coloca na cama conosco. Confesso que às vezes nem acordo – percebo que ele está ali porque virou para me abraçar, o que me deixa infinitamente feliz. Assim ele vai até de manhã, dormindo hiper bem. Depois que os dentes nasceram, ele parou de ficar com o sono agitado (o que me leva a crer que devia ser por causa disso mesmo, além da chegada do calor e dos novos aprendizados). Temos dormido bem demais à noite, nos permitindo até alguns abusos como assistir filmes até tarde e ir dormir por volta das 2h da manhã.

De manhã, Ande dá a primeira mamada do dia e eu acordo somente depois que ele tomou banho (com o Paul na cadeirinha) e vai sair para trabalhar. Quando ele está de folga, fica com o Paul até a hora da primeira soneca, quando eu finalmente levanto (por volta das maravilhosas 10h da manhã). Claro que não é um sono ininterrupto, porque ele entra no quarto para trocar fraldas e fazer outras coisas, mas é melhor deitada que de pé! E tenho ficado numa boa mesmo nos últimos dias, depois que combinamos essa tática da primeira mamada como sendo dele. Finalmente consigo descansar um pouco depois que o Paul nasceu.

Ele prefere dormir conosco sim. Antes era indiferente, depois passou a preferir o berço (por causa do calor, acredito eu), mas agora está claro que ele prefere dormir conosco. Ele detesta dormir abraçado (antes adorava), mas quer ficar na cama segurando o meu braço ou o do Ande, e em determinado momento ele vira, me abraça um pouquinho, depois vira para o outro lado e abraça o papai. Acho uma graça e adoro! É algo que me faz muito feliz e não conseguiria mais viver sem!

Importante frisar que isso não tem atrapalhado em nada a nossa privacidade. Nós nunca fizemos nada com ele na cama conosco, obviamente. O que eu quero dizer é que o quarto é o ambiente para dormir. Qualquer outra coisa é feita em outros lugares (vocês entenderam, non?). Sobre ficar juntos, dormir juntos, isso nós fazemos. Como eu disse, ele só vem para a nossa cama depois de um certo tempo, quando já estamos dormindo também. Se isso irá mudar quando ele estiver maior? Quem sabe? Eu acredito que sim. Acredito que ele queira ficar acordado conosco e coisas do tipo. De qualquer forma, tentarei manter o ritual do sono antes das 20h e deixar claro que, passou disso, é hora de dormir, mas tudo gentilmente. Nada de deixar chorando e táticas malucas do tipo.

Outro dia vi um programa sobre pais e babás, mas não era nenhum conhecido. Um casal, pais de trigêmeos, que sempre dormiram com os três filhos (imaginem a situação!) de cerca de 1 ano e meio, na mesma cama, e então a babá mudou radicalmente de um dia para o outro, fazendo-os dormir em um quarto separado e em suas próprias camas. Eles choraram durante duas horas (!!!) até pegarem no sono, de cansados. Funciona? Sim, mas gente: é crueldade. Primeiro, você opta por dormir com o seu filho, porque ele dorme melhor. Foi uma decisão sua. O bebê não tem culpa. Então, num belo dia você se cansa e o deixa chorando sozinho no berço para dormir. Coitado do bebê, de verdade! Se isso tiver que ser feito, que seja de leve, com uma transição adequada, e não abruptamente.

Aqui em casa, como alguns sabem, usamos o nosso quarto de casal como sala/estúdio/escritório e dormimos no mesmo quarto que o Paul, pois estamos reformando o estúdio – lugar para onde vão todas as coisas que ocupam o quarto de casal atualmente. Quando isso acontecer, poderemos montar nosso quarto, finalmente, e deixar o Paul com o quartinho só dele. Como a cama compartilhada foi uma decisão consciente, deixaremos o Paul ir para o quarto dele “quando ele estiver pronto”. Isso significa que, quando o quarto dele for somente dele, passarei a fazer a transição. Falarei sobre isso com mais detalhes em outro post. Por enquanto, estamos super bem assim. Paul dorme bem, Ande e eu também. Como ele (Ande) pega no sono fácil, tem sido tranquilo para ele acordar mais cedo ou pegar o Paul no berço no meio da madrugada. Quando eu fazia isso, ficava 2h tentando dormir novamente, o que me deixava acabada.

Hoje, com 8 meses de maternidade, sinto que realmente conheço o meu filho! As coisas são uma via de mão dupla: ao mesmo tempo que respeito as necessidades dele, tento manter uma rotina. É uma troca. Só conhecendo bem (e isso é resultado da experiência de meses) para saber que exceções podem ser feitas, quando e porquê, ou quando é a hora de ser chata e fazer tudo dentro dos conformes. Hoje mesmo o Ande foi sozinho até a casa da mãe dele levar o Paul, pois eu teria um compromisso à tarde (que foi adiado depois que ele já tinha saído, o que me rendeu preciosas horas livres). Paul tirou a soneca da tarde bem depois do horário habitual, dormiu no caminho (ele saiu de lá às 19h30!) e acordou quando chegou aqui (cerca de 21h), indo dormir somente às 23h, depois de mamar. Exceção total. Vou pirar porque o Ande ficou lá até tarde e o Paul acordou ao chegar aqui? Claro que não. Só não pode repetir todos os dias e bagunçar, senão a bagunça vira regra.

Ah, importante: tirar ou não tirar a mamada dos sonhos. Se ele mamou às 20h, dorme até de manhã, mas acorda mais cedo (entre 6h e 7h) e o sono dele não é tão bom. Ele se retorce muito e acorda chorando diversas vezes. Por esse motivo, continuamos com a mamada dos sonhos, mas sem a obrigatoriedade de ser às 23h – damos quando vamos dormir, sempre dependendo da última vez em que ele mamou. Se ele mamou às 20h, não damos a mamada antes da meia-noite, pois seria um intervalo menor de 4h, sem necessidade. Esperamos até a 1h da manhã, quando estamos indo dormir. Depois dessa mamada, ele realmente capota e dorme como uma pedra até de manhã. A conclusão é que até dá para tirarmos a mamada dos sonhos, mas ele dorme muito melhor se mama mais uma vez, então por que tiraríamos? Mais uma vez: conhecê-lo é o que direciona a rotina por aqui.

This entry was posted in 8 meses, Sono. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s